PELOS CAMINHOS DA VIDA OK
PELOS CAMINHOS DA VIDA OK

As imagens usadas neste site foram tiradas da net sem autoria das mesmas.

Caso alguém conheça o autor das imagens, agradeceremos se nos for comunicado,

 para que possamos conferir os devidos créditos.

Grata<>Maju

 Pelos Caminhos da Vida.

 

Fui buscar as tintas para minha paleta, no Arco-Íris que ofuscava no poente.

Transitei por ruelas obscuras, atrás da mulher adúltera,

para compor o meu romance à custa do desencanto,

Da desilusão, do desapego a vida...

 

Atravessei mares a ouvir história de marujos apaixonados por Ondinas...

Por Sereias no cantar das ondas, embriagando os navegantes sem rumo...

Por entre selvas, ouvi o canto e o rodopiar festivo da passarada...

Por Cachoeiras, passei...

 

Conheci as salamandras, os duendes, as fadas, toda a história encantada

das matas em festivais, nas noites enluaradas...

Percorri então, Céus, Mares, Florestas, terras áridas, desertas,

onde o silvo das caçáveis e o chilrear de animaizinhos esbaforidos,

eram os únicos sinais de vida...

Esgotado, aturdido, sem mais motivação, quedei-me a pensar...

 

Conheci o Mundo...

A matéria era a minha sina, meu ideal de cavalheiro andante,

com meu “Pancho Vila” a tiracolo...

Conheci tudo, não há mais mistério!

 

Veio o desencanto...

Súbito, numa percepção de voz, ouvi um desafio!

Conhecestes Deus?

Quem é Ele?

Conheceste tudo?

 

Quedei-me surpreso... Algo a pesquisar? A descobrir???

Novo alento fez levantar-me para nova busca...

 

Um desafio...
Por onde começar??? Que rumo tomar???

Atordoei-me...

 

Tudo recomecei... Fui longe, varei novamente céus, mares, desertos,

Agora com mais tenacidade... Hei de encontrar este Cavalheiro!...

 

Após exaustivas buscas, velho, cansado, tombei...

Ao sentir-me só, Orei, e em colóquio comigo mesmo, pensei...

E alguém me orientou! A excursão começaria por rotas diferentes...

 

Segredei! Meditei por dias, horas!!

Não havia mais tempo a perder,

e comecei por caminhos tão diferentes, que no início hesitei...

Mas, continuei... E, em meditações e orações, recomecei...

 Por quantas vezes, nem sei...

 

Pelo Coração, iniciei...

Por Fios Mentais, transitei...

No vazio de minha alma, achei um tênue fio de luz e segui...

 

Sendo amparado, persisti e no caminho eu vi:

Alguém, Amigo, a ajudar-me,

Dando-me a Mão, a indicar-me o Caminho Certo...

Por várias vezes vacilei, mas Ele ali estava a alentar-me...

De novo segui...

 

Caminhos difíceis, degraus galguei, mas enfim, encontrei...

No imo de mim, achei...

Só, a esperar-me por séculos enfim, Deus...

 

Pedindo Perdão, olhei...

O tempo perdido que vaguei...

 

Ele, indulgente, me acolheu...

Sem deixar-me falar, mostrou...

O Amigo que eu não vira e que sempre me seguira!

 

Humilde, sereno, simples, porém altaneiro, pujante de luz...

Meu “Sancho Pancho” que me seguira,

Carregando minha bagagem em passo firme,

corajoso, empreitando minha viagem...

Estava agora no rumo certo e me senti pleno, feliz...

 

A Luz enfim!

Era tudo que eu buscava e não sabia!

Deus meu Cavalheiro! Dentro de Mim...

No Amor O Achei...

 

UM AMIGO ESPIRITUAL

Psicografia<>Maju

CopyrightMaju<>Todos os Direitos Reservados

  LIVRO DE VISITAS <<>> ASSINAR @ LER

MENSAGEM ANTERIOR      NOVA MENSAGEM